Blog

29. mar, 2017

Muito tenho ouvido colegas questionarem a respeito da aplicação do Método Pilates pela Fisioterapia.
Será que as resoluções publicadas pela autarquia da Fisioterapia não servem para nada?
Precisamos a cada dia fortalecer nossa categoria, mesmo não concordando, temos que seguir o que determina o Conselho. Somos uma profissão regulamentada por Lei! (http://www.coffito.org.br/…/fisioterapia/regulamentacao.html ) A ordem, a ética (http://www.coffito.org.br/…/fisioterap…/codigo-de-etica.html) , a valorização e o corporativismo devem ser fortalecidos a cada dia. Para tal fato precisamos seguir as recomendações e as regulamentações.
Quando atuamos com objetivos de condicionamento físico (atividade física) estamos invadindo uma outra categoria: A DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Não concordam? 
Como realizarmos nossos atendimentos em pessoas sadias, sem patologias e disfunção? Tudo parte do comportamento que iremos realizar frente esses clientes. O fisioterapeuta sim esta apto a atuar na prevenção de lesões! Você já parou para pensar o que é prevenção de lesões? Será que os exercícios circenses do Pilates são para prevenção de lesão? Você elege seus exercícios após um raciocínio Cinético-funcional e morfotipologico?
Em 10 anos atuando com o Método verifiquei que muitos clientes que nos procuram para a prática os fazem porque somos Fisioterapeutas. Somos fisioterapeutas e precisamos atuar como FISIOTERAPEUTAS! O atendimento pode estar dando certo? Sim, pode. Porém a forma como tratamos os praticantes do Método acaba interferindo na forma como pensam em relação a nossa categoria. Ser chamado de professor de pilates, dar aula de pilates entre outros acaba caracterizando a atuação do Professor de Educação Física. O mesmo falo para quando atuamos no treinamento funcional! As recomendações da autarquia são justamente para isso! (http://www.coffito.org.br/…/465-resolucao-n-386-2011-dispoe…)
O Método Pilates atualmente vem sofrendo muitos estudos ao qual conflitam a respeito da eficácia dos princípios em muitas indicações: atuações na melhora da lombalgia crônica, na melhora do padrão postural são alguns dos conflitos dos estudos. Sabemos que na melhora da qualidade de vida ele é muito bem indicado! Enfim, o Pilates é FISIOTERAPIA e esta relacionado em nosso Referencial de procedimentos Fisioterapêuticos (http://www.coffito.org.br/…/referencial-nacional-procedimen… )
Vamos começar a refletir a respeito! Vamos começar a estudar um pouco mais nossas resoluções! Vamos começar a estudar mais por artigos científicos para termos embasamento científico na clínica! Vamos começar a respeitar mais a FISIOTERAPIA! O estudo é diário e para sempre em nossa profissão!
#ficaadica #fisioterapiaacimadetudo
Dr. Leonardo Brito

23. mar, 2017

Muito temos ouvido criticas e visto deficiências na Formação acadêmica dos Fisioterapeutas. São desconhecimentos em relação à ética e deontologia; formação baseada no “gurunismo” e não nas evidencias científicas; aplicabilidade voltada para o modelo hospitalocêntrico e médicocentrista; desatualização dos professores entre outros. O alunato tem saído das Universidades com uma crise de identidade profissional, sendo lançados no mercado sem realmente entender o que é Fisioterapia e no que o Fisioterapeuta, hoje, pode e deve atuar.

Você sabe o que é Fisioterapia? Sabe no que o Fisioterapeuta pode atuar?

Atualmente estamos vivenciando um momento de discussão sobre as Novas Diretrizes Curriculares para os Cursos de Fisioterapia que sem dúvida são de total relevância pelo fato dos novos espaços conquistados pela Fisioterapia. Mas a dúvida que fica é: Os professores estão realmente preparados para essa mudança? Muitos ainda nem se enquadraram nas Diretrizes Curriculares estabelecidas em 2002!

Precisa-se entender que o bom professor não é aquele que tem 30 anos de profissão; não é aquele que tem a fama de “queridinho” por parte do alunato; não é aquele que utiliza os últimos recursos de multimídia em salas de aula. O bom professor é aquele que procura se atualizar constantemente, tanto na clínica-científica como no pedagógico, é aquele que forma o aluno crítico e conhecedor da Fisioterapia, não só na aplicabilidade clínica - cientifica como na legislação. Quantos professores conhecem realmente o campo de atuação da Fisioterapia? Quantos professores são conhecedores da Legislação da categoria? Quantos professores procuram participar dos movimentos de avanço da Fisioterapia? Quantos professores procuram participar de eventos científicos e Fóruns como ouvintes? Quantos professores apóiam as entidades da Fisioterapia? Quantos professores fazem parte da Abenfisio e participam de seus eventos? Quantos professores continuam ativos junto o Crefito?

Particularmente, tenho visto no mercado muito mais Professores Fisioterapeuta do que Fisioterapeutas Professor. A cada nova “safra” de profissionais temos visto a crise de identidade profissional aumentar.

Se você é um Fisioterapeuta Professor: Parabéns! Mas se você é um Professor Fisioterapeuta reflita e tente mudar sua filosofia para construirmos um melhor cenário para a Fisioterapia. É no “solo” que se “planta” e “rega” a seriedade de classe para que assim a “safra” possa render excelentes “frutos”.

#ficaadicaparaafisioterapia #pelavalorizacaodafisioterapia #euvalorizoafisioterapia

#leobritofisioterapia 

Dr. Leonardo Brito